28/06/2021

Primeiros passos de uma vida de e-Commerce

Por agenciaipsum

Em 2018, o PayPal divulgou uma pesquisa afirmando que 80% dos brasileiros utilizam os seus smartphones como “vitrine” no processo de compra, determinando a escolha de um produto dentre a diversidade de tantos outros que atuam no mesmo segmento.

A realidade é que o mundo online se tornou algo comum no cotidiano das pessoas, principalmente pela fácil acessibilidade ao mobile. Os smartphones trouxeram praticidade e comodidade na realização de tarefas simples do dia a dia.

Pense bem! As lotéricas e bancos são as últimas opções que vêm à sua mente na hora de pagar uma conta, certo? Da mesma forma funciona ao pedir uma pizza com os amigos, ou abastecer a geladeira. Ou ainda, podemos pensar naquele tênis que você tanto queria, mas que só vende em uma loja do exterior.

Diante desse cenário, só podemos dizer que sentimos muito se a sua empresa ainda não marcou presença no mundo digital. Mas fique calmo, preparamos um conteúdo rico para te ajudar a cair de cabeça no e-Commerce de modo a conquistar a audiência do seu público consumidor.

Fique conosco ao decorrer dessa leitura, para batermos um papo sobre:

  • Passo a passo: como montar uma loja virtual?
  • Melhores estratégias e métricas para otimizar os indicadores do seu negócio
  • Plataformas de e-Commerce que são destaques no mercado
  • Principais dúvidas ao iniciar a caminhada no e-Commerce

Passo a passo: como montar uma loja virtual?

Antes de começarmos os primeiros passos nessa caminhada, precisamos entender a importância de investir nessa ferramenta.

Através do e-Commerce você gerenciará todas as operações do seu negócio de forma virtual (praticidade, lembra? 😉).

Uma boa plataforma de e-Commerce deve apresentar a função de cadastro de produtos e preços, controle de estoque e reposição, amplitude nas formas de pagamento, monitoramento de pedidos e a análise de resultados.

Sem mais delongas, vamos direto ao ponto!

  1. Determine seu ramo de atuação

Parece bobo tocar nesse ponto, mas você deve dedicar muito do seu foco nessa etapa para garantir o posicionamento da sua marca no mercado e traçar as principais estratégias para alcançar o seu público-alvo.

É muito importante que você não escolha o segmento da sua loja apenas com base no feeling ou identificação com determinado produto/serviço. Claro que isso é muito importante, mas uma dica é pesquisar sobre as principais tendências do mercado no momento e com base nisso, descobrir possíveis novas aptidões.

Se quiser saber mais sobre ramos e nichos de atuação leia o post que desenvolvemos sobre o tema. 

  1. Defina o ICP da sua marca

O ICP, ou Ideal Customer Profile, é o perfil ideal de clientes que possuem fit com a solução que a sua empresa oferece.

Uma estratégia interessante é desenhar a sua persona, estabelecendo dados demográficos e comportamentais sobre esse personagem fictício.

Ao deixar claro informações como a idade, o gênero, a renda, o seu comportamento online e a média de valores gastos em suas compras, é possível planejar ações assertivas que conquistem a atenção do seu cliente ideal, convertendo os seus interesses em venda.

  1. Decida o modelo de negócio

O e-Commerce é uma solução muito vasta, que atende diferentes finalidades, por isso é tão importante definir o público que a sua empresa oferecerá soluções. Diferenciamos os diferentes tipos de comércio eletrônico em:

  • e-Commerce atacadista

Destinado às vendas em grandes quantidades.

  • e-Commerce B2B

Proveniente do termo business-to-business, é utilizado por fabricantes e distribuidores que negociam com outras empresas.

  • e-Commerce B2C

Ou business-to-consumer, é o comércio virtual voltado diretamente ao consumidor final. É utilizado pelas lojas de varejo, como ocorre no ramo de vestuário e eletrônicos.

  • e-Commerce C2C

Relacionado à venda consumer-to-consumer, ou seja, de consumidor para consumidor. Assim como ocorre no Enjoei, Mercado Livre e OLX, qualquer pessoa pode cadastrar determinado produto e vender a outras pessoas.

  • e-Commerce varejista

Trata das vendas em pequenas quantidades, ocorrendo principalmente em empresas com pouco estoque de produtos.

  1. Abra um CNPJ

Após definir o segmento de atuação e dar início à sua loja eletrônica é necessário abrir um CNPJ, fator determinante para a credibilidade da sua empresa.

Para isso, você deve acessar o Portal do Empreendedor e escolher entre a opção de abrir uma empresa ou criar o MEI, apresentando:

  • Carnê de IPTU do estabelecimento;
  • Comprovante de pagamento de DARF e DARE;
  • Comprovante de residência;
  • Contrato social;
  • Documento de identidade (tanto do proprietário quanto dos sócios).

É um processo muito simples que garantirá a regularidade do seu negócio.

  1. Separe o budget

A dica aqui é preparar um plano de negócios, em que você documentará as informações mais importantes da sua empresa, como a estratégia de vendas e os investimentos que deve realizar para gerenciar o seu negócio, seja com a compra de produtos para deixar em estoque, custear a criação do site ou para adquirir a plataforma de e-Commerce.

  1. Escolha a plataforma de e-Commerce

A escolha dessa plataforma é de extrema importância para a rodagem do negócio, já que através dela você gerenciará todas as operações da empresa, como citamos acima.

Adquirir um sistema que seja prático, eficiente e estável otimiza as suas tarefas do dia a dia e garante que nenhum cliente deixará sua loja com o “carrinho cheio” simplesmente pelo site estar fora do ar. Chato, né? 😕

Mas não desanime e continue com a gente nessa leitura, pois nos próximos parágrafos apresentaremos as melhores plataformas de e-Commerce para te ajudar!

Ações que fazem toda diferença na “cara” do seu negócio é a de escolher o tema do site, divulgar informações sobre a sua empresa, inserir o logo da marca e dividir os itens em categorias.

  1. Configure o método de pagamento

O pagamento deve ocorrer de forma segura tanto para o comprador, quanto para o vendedor.

 Justamente por isso você deve investir em processadores que recebem os dados de pagamento do cliente, contatem bancos e empresas de cartão de crédito e confirmem a liberação do pedido, agilizando todo o processo. Um importante diferencial na escolha desse sistema é o de oferecer cashback.

Entre as principais ferramentas que fornecem essa solução estão o MercadoPago, PayPal, Picpay e Pagseguro.

  1. Estabeleça a logística

Já pensou em como receberá, preparará e enviará os pedidos da sua loja virtual?

Então agora é a hora!

A realidade é que tudo depende do tamanho do seu negócio. Caso seja uma operação grande, recomendamos que você contrate empresas especializadas em armazenamento, distribuição e logística; mas caso seja uma operação menor, dois funcionários são suficientes, sendo que um deles será responsável apenas por todo esse processo.

  1. Cadastre os produtos

Quer saber de um segredo? Eu te conto!

As informações cadastradas são de extrema importância para garantir a experiência do usuário e fechar maiores números de vendas.

Lembre-se que você está em um ambiente online, e o seu cliente não tem conhecimento sobre o produto, à não ser pela descrição que você cadastra na plataforma.

Informações como tamanho, material, proporção, cor, validade e garantia são tão importantes quanto escolher a melhor imagem para divulgar sobre o produto.

  1. Invista em canais de suporte e relacionamento

Seja através das mídias sociais, do WhatsApp, e-mail ou plataformas de SAC, os seus clientes precisam ter um canal de comunicação com a sua empresa. Ah, e ele deve estar adequadamente apresentado em sua plataforma.

Muitos de nós, antes de comprar qualquer produto, pesquisam sobre determinada marca nas redes sociais, Google e sites como Reclame Aqui, não é mesmo?

Os clientes se sentem muito mais seguros ao saberem que qualquer dúvida ou problema pode ser solucionado em contato direto com o funcionário da loja, ao invés de contarem com a sorte ou receberem uma comunicação robotizada e não muito específica para a sua dor.

Melhores estratégias e métricas para otimizar os indicadores do seu negócio

Tudo bem que já citamos algumas dicas valiosas no tópico acima, porém ainda tem muito mais para conversarmos sobre estratégias que aumentarão o alcance da sua empresa, garantindo o bom posicionamento no mercado e por consequência, aumentar o ticket médio em sua loja.

Continua com a gente!

Divulgue a sua marca

“Quem não é visto, não é lembrado”.

Você já ouviu esse ditado milhares de vezes, principalmente no meio digital. Acertamos? 🤔

Após criar e estruturar a sua loja virtual, chega o momento de atrair clientes para o seu site. Para isso, é importante estudar os canais digitais que a sua audiência mais frequenta, apostando na comunicação humanizada, simples e atrativa.

Através de e-mails marketing e mídias sociais você promove o engajamento e o relacionamento do cliente com a sua marca por meio de abordagens personalizadas.

Considere investir no marketing de conteúdo e nas mídias pagas, de modo a garantir o crescimento orgânico do seu site no Google, além de gerar credibilidade e autoridade frente ao mercado competitivo.

Obtenha certificado de segurança

Em todo tempo estamos frisando a questão de “segurança” e “confiança” justamente pelo e-Commerce ser um comércio 100% virtual, o que pode ser um empecilho na decisão de compra.

Possuir um certificado de segurança é uma chave importante para “quebrar” a resistência dos consumidores, que provavelmente aumentarão a sua frequência de compra e indicarão a sua loja para outras pessoas.

Um dos certificados mais comuns é o SSL (Secure Sockets Layer) que garante a confiabilidade na navegação. Para obtê-lo basta ter um plano de hospedagem na web ou um plug-in de certificado SSL.

Divulgue as avaliações recebidas

Outra forma de conquistar novos clientes é compartilhando as impressões que outras pessoas tiveram sobre o seu negócio. A confiança expressa pelo seu público é mais impactante e converte mais do que a divulgada pela sua própria empresa. Damos o nome de prova social a essa estratégia. Justamente por isso, estimule o engajamento a participação da sua audiência na avaliação da sua marca.

Acompanhe os resultados

O Google Analytics é uma ferramenta que analisa o que é mais rentável com o público. Por meio dele você pode calcular o ROI e avaliar as estratégias de comunicação que mais impactam a taxa de conversão. 

Outras métricas que devem ser medidas são:

  • Tráfego do site – para que estratégias de atração sejam desenhadas corretamente;
  • Fontes do tráfego – de modo a direcionar as estratégias de forma assertiva para os canais efetivos;
  • Indicador de visitantes decorrentes e únicos – para que a comunicação estimule acessos no site regularmente;
  • Conversão – os objetivos principais de todas as estratégias é de conquistar a fidelização dos clientes e aumentar o número de vendas;
  • Abandono do carrinho de compras – relacionado diretamente com a taxa de conversão de vendas, ocorrendo pelo valor do frete ou prazo de entrega.

Plataformas de e-Commerce que são destaques no mercado

Bom, como prometido, trouxemos uma lista com as principais plataformas de e-Commerce para você dar início à sua loja virtual.

Nuvemshop

Plataforma tida como o maior ecossistema da América Latina. Integra produtos, oferece diferentes tipos de pagamentos e possui diversos layouts que se adaptam aos amplos tipos de negócios. Além disso, conta com o acompanhamento de um time de atendimento ao cliente.

Loja Integrada

Através desse sistema você terá acesso à recursos como ranking de faturamento, diário de bordo, split checkout (o que facilita a experiência de compra do cliente) e análise de relatórios.

Tray

Fornece estrutura pronta para a sua loja, tendo visual profissional. Além disso, conta com a integração à marketplaces que gerenciam pedidos, estoque, preço, anúncio e frete.

Webstore

Voltado principalmente para negócios entre empresas. Possui sistema completo para atender atacadistas, sistema de afiliados, precificação especial para diferentes grupos de clientes e gerenciamento de comissionamento por vendedor.       

Principais dúvidas ao iniciar a caminhada no e-Commerce

Já falamos muito sobre e-Commerce, mas dúvidas surgem e isso é normal. Por isso, responderemos as principais questões sobre o comércio virtual. Acompanhe conosco:

  • Quais conhecimentos são necessários para administrar uma loja virtual?

Normalmente, a maior parte dos serviços dentro de um e-Commerce podem ser realizados por apenas uma pessoa, já que apresenta uma interface de fácil usabilidade. Mas caso necessário, existem ferramentas especializadas na consultoria e suporte para gestores de comércios virtuais.

  • Como se deve organizar a vitrine da loja?

Assim como em uma loja física, os produtos devem estar divididos de maneira harmônica em categorias e subcategorias que facilitem a busca e interação dos usuários.

  • Como o lojista sabe de novas vendas?

Isso depende da plataforma na qual você investiu, mas geralmente esses avisos ocorrem por e-mail nos quais são detalhadas todas as informações da compra.

  • Como o cliente acompanha as suas compras?

Assim como o lojista recebe e-mail a cada nova venda, o cliente também é notificado dessa forma. Além disso, os dados da compra e da aquisição estão disponíveis na área de clientes da plataforma.

  • Uma loja virtual precisa emitir Nota Fiscal?

Sim, com certeza. Através das NFs é possível documentar a regularidade nas vendas, estando em dia com a lei e garantindo direitos ao consumidor, como troca ou devolução.

  • É possível integrar o estoque da loja virtual com a da loja física?

É sim. Esse processo é realizado através de softwares de gerenciamento como o ERP, também conhecido como Planejamento de Recursos Empresariais.

Material bônus: Categorias mais compradas no ano de 2020

Para finalizarmos esse conteúdo, seguem as categorias de produtos mais adquiridas no ano de 2020, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE:

  • Equipamentos e materiais de escritório, informática e comunicação (41,8%);
  • Móveis e eletrodomésticos (25,9%);
  • Vestuário e tecidos (11,8%);
  • Farmacêutico, médico, perfumaria e cosmético (7,5%);
  • Artigos domésticos e de uso pessoal (7,4%);
  • Papelaria, revistas e livros (2,3%).

Esperamos que esse material tenha te motivado a dar os primeiros passos no e-Commerce, consolidando a sua marca através de uma loja virtual. 😉

Ah, já íamos nos esquecendo! Ficou com alguma dúvida ou tem algo para compartilhar?

Deixe seu comentário, estamos animados para te ouvir!